Aplicação do Modelo Triple Bottom Line em um Hospital Público

Fernanda Julio Barbosa Campos, Heidy Rodriguez Ramos

Resumo


A sustentabilidade é um tema que está em crescente discussão e tem sido foco de trabalhos em muitas instituições. Dada a sua importância, atualmente vem sendo proposta para discussão na área da saúde. Este trabalho analisou as ações de um hospital público voltadas à aplicação da sustentabilidade na saúde, através do modelo triple bottom line (TBL) ou tripé da sustentabilidade, que engloba aspectos econômicos, ambientais e sociais. A questão de pesquisa foi avaliar o resultado da aplicação do modelo TBL nesse hospital. Foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa participante, considerando-se como estudo de caso uma instituição de saúde, para verificar os resultados das ações. Com o planejamento e execução de ações para valorização, conscientização e educação dos funcionários e usuários e ações para economia de recursos naturais e financeiros, a instituição alcançou resultados positivos na maioria dos aspectos do modelo TBL, pode investir em equipamentos médico-hospitalares e despertar o desenvolvimento sustentável, além de garantir ações duradouras para a instituição.


Palavras-chave


Sustentabilidade, Modelo TBL, Saúde

Referências


Araújo, G. C., Bueno, M. P., Souza, A. A., Mendonça, P. S. M. (2006). Sustentabilidade empresarial: conceito e indicadores. III CONVIBRA. Retrieved from: http://www.convibra.com.br/2006/artigos/61_pdf.pdf. Acesso em: 19/07/2013.

Barbieri, J. C, Vasconcelos, I. F. G., Andreassi, T., Vasconcelos, F. C. (2010). Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 50(2).

Carvalho, O., Viana, O. (1998). Ecodesenvolvimento e equilíbrio ecológico: algumas considerações sobre o estado do Ceará. Revista Econômica do Nordeste v. 29(2) abr./jun. Fortaleza: CEBDS, Conselho Empresarial.

Cirelli, G. A., Kassai, J. R. (2010, Julho 26 e 27). Análise da percepção sobre sustentabilidade por parte de stakeholders de uma instituição financeira: um estudo de caso. Anais do 10º Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. Retrieved from: . Acesso em: 19/07/2013.

Elkington, J. (2001). Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books.

Jacobi, P. (1999). Meio ambiente e sustentabilidade. O Município no século XXI: cenários e perspectivas. Cepam–Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal.

Jacobi, P. (1999a). Poder local, políticas sociais e sustentabilidade. Saúde e Sociedade, v.8(1), pp. 31-48.

Kleindorfer, P. R., Singhal, K., Wassenhove, L. N. V. (2005). Sustainable operations management. Production and Operations Management v. 14(4), pp. 482-492

Lamberts, R., Triana, M. A., Fossati, M., & Batista, J. (2008). Sustentabilidade nas edificações: contexto internacional e algumas referências brasileiras na área. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Lei Municipal nº 7736 de 26 de maio de 1972. Recuperada em 08 maio, 2014, de https://www.leismunicipais.com.br/a/sp/s/sao-paulo/lei-ordinaria/1972/773/7736/lei-ordinaria-n-7736-1972-dispoe-sobre-a-criacao-como-entidade-autarquica-do-hospital-do-servidor-publico-municipal-e-da-outras-providencias.html.

Pope, J., Annandale, D., Saundersb, A.M. (2004). Conceptualising sustainability assessment. Environ. Impact Asses. Rev. 24, 595–616.

Philippi, L. S. (2001). A construção do desenvolvimento sustentável. In.: Leite, A. L. T. A., Minninni-Medina (2001). Educação Ambiental (curso básico à distância) Questões ambientais – conceitos, história, problemas e alternativa v. 5, 2. ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente.

Porto, M. F., & Martinez-Alier, J. (2007). Development and health promotion. Cad. Saúde Pública, 23(Sup 4), S503-S512.

Sato, M., & Carvalho, I. (2005). Educação ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegra: Artmed.

Sícoli, J. L., Nascimento, P. R. (2003). Promoção de saúde: concepções, princípios e operacionalização. Interface – Comunicação, Saúde, Educação. v. 7(12), pp. 91-112.

Silva, G. S.; Tamaki, H. O., Gonçalves, O. M. (2008). O PURA-USP e o uso sustentável da água na Universidade de São Paulo. I Encontro Latino-Americano de Universidades Sustentáveis. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Brasil.

Soares, L. Q., Ferreira, M. C. (2006). Pesquisa participante como opção metodológica para a investigação de práticas de assédio moral no trabalho. Psicologia (Florianópolis), v. 6, pp. 85-110.

Viana, A. L., Yazle, J. S., Elias, P. E., Ibañez, N., Novaes, M. H. D. (2006). Modelos de atenção básica nos grandes municípios paulistas: efetividade, eficácia, sustentabilidade e governabilidade. Ciência & Saúde Coletiva, 11(3), pp. 577-606.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. (3ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Ziglio, E., Hagard, S., McMahon, L., Harvey, S., Levin, L. (2000). Inversión en favor de la salud. In: Conferência Mundial de Promoción de La Salud, 5, México.


Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000