Processo de Mudança para uma Orientação Sustentável: Análise das Capacidades Adaptativas de Três Empresas Construtoras de Santa Maria-RS

Maísa Gomide Teixeira, João Fernando Zamberlam, Maríndia Brachak dos Santos, Clandia Maffini Gomes

Resumo


A raiz do pensamento em torno da sustentabilidade reside em tentar mudar a mentalidade das pessoas para uma concepção diferente de vida. Nesse propósito, as empresas desempenham um importante papel. Porém, a orientação sustentável que está baseada em uma proposta ampla ainda está sendo incipientemente implantada nas empresas. O setor de construção civil, devido a um histórico perverso no tocante aos impactos no meio ambiente e à periculosidade de suas atividades aos trabalhadores, tem sido muito visado pelo controle governamental. Dessa forma, o presente estudo endereça a questão de mudança em organizações investigando como empresas construtoras estão promovendo a transição para uma orientação sustentável. Reporta-se a esse objetivo por meio da análise do modelo de Zollo, Cennamo e Neumann (2013) em três empresas construtoras de Santa Maria-RS. A análise dos dados recorre à técnica de análise de conteúdo de modo a ressaltar as particularidades das iniciativas sustentáveis praticadas nas empresas. Pode-se constatar a aplicabilidade desse modelo, por focar não apenas elementos mais superficiais de mudança, mas, também, esforços para atingir os elementos mais sutis, tácitos e fundamentais. Os achados do estudo são apresentados em termos das capacidades adaptativas que indicam desejos genuínos de assumir processos de mudança. Discutem-se as principais dificuldades enfrentadas pelas empresas e identifica-se o principal foco das atividades em relação às três dimensões da sustentabilidade.

Palavras-chave


Empreendimento sustentável. Capacidade de aprendizagem. Iniciativa de mudança. Construção civil.

Referências


Allen, S., Marshall, J., & Easterby-Smith, M. (2015). Living With Contradictions: The Dynamics of Senior Managers’ Identity Tensions in Relation to Sustainability. Organization & Environment, 1-21. DOI: 10.1177/1086026615575048.

Alves, A. P. F., & Trevisan, M. (2014). Ecologia Industrial na Prática: oportunidades e limitações para a instalação de uma indústria de brita ecológica em Rio Grande/RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental – REGET, 18(1), 144-157.

Bacha, M. L., & Schaun, A. (2010). Considerações Teóricas sobre o Conceito de Sustentabilidade: uma reflexão sobre elementos conceituais e revisão da literatura. In A. Schaun, & F. Utsunomiya (Org.). Comunicação e Sustentabilidade, Conceitos, Contextos e Experiências (pp. 13-35). 1ed. Rio de Janeiro: e-papers, v. 1.

Bansal, P. (2003). From issues to actions: The importance of individual concerns and organizational values in responding to natural environmental issues. Organization Science, 14(5), 510-527.

Barbieri, J. C., & Cajazeira, J. E. R. (2009). Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Saraiva.

Bauer, M., & Gaskell, G. (2010). Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes.

Blackburn, W. R. (2012). The Sustainability Handbook: The Complete Management Guide to Achieving Social, Economic, and Environmental Responsibility. The Environmental Law Institute, Washington, D.C.

Carvalho, I. C. M. (1999). La cuestión ambiental y el surgimiento de un campo educativo y político de acción social. Tópicos en Educación Ambiental, 1(1).

Charted Institute of Buiding. (2010). Corporate Social Responsability and construction, CIOB Information and Guidance Series. Online. Disponível em: . Acesso em jun. de 2010.

CIB – International Council for Research and Innovation in Building and Construction and UNEP – United Nations Environment Programme (2002). Agenda 21 for Sustainable Construction in Developing Countries: A discussion document. Boutek Report No Bou/E0204, Pretória. Recuperado em 03 de fev., 2014 de:

.

CNI – Confederação Nacional da Indústria & CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO – CBIC. (2012). Construção Verde: Desenvolvimento com Sustentabilidade. Encontro da Indústria para a Sustentabilidade. Disponível em: . Acesso em out. de 2015.

Creswell, J. W. (2007). Qualitative inquiry and research design: choosing among five approaches. Thousand Oaks: Sage.

Donaire, D. (2011). Gestão ambiental na empresa. 2. ed. São Paulo. Ed. Atlas. 169 p.

Elkington, J. (2012). Canibais com garfo e faca: edição histórica de 12 anos. São Paulo: M. Books.

Farjoun, M. (2010). Beyond Dualism: Stability and Change as a Duality. Academy of Management Review, 35(2), 202-225.

Fontan, J. M., Klein, J.-L, & Tremblay, D.G. (2005). Innovation socioterritoriale et

reconversion économique: le cas de Montréal. Paris: L’Harmattan.

Freeman, R. E. (2010). Strategic management: a stakeholder approach. New York: Cambridge University Press.

Freeman, R. E., & Mcvea, J. A. (2001). Stakeholder approach to strategic management. In M. HITT, R. FREEMAN & J. HARRISON (Eds.). The Blackwell Handbook of Strategic Management (pp. 189-207.). Oxford: Blackwell Business.

Hart, S., & Dowell, G. (2011). A natural-resource-based view of the firm: Fifteen years after. Journal of Management, 37, 1464-1479.

Hogan, S. J., & Coote, L. V. (2014). Organizational culture, innovation, and performance: A test of Schein’s model. Journal of Business Research, 67, 1609-1621.

Horish, J.; Freeman, R. E., & Schaltegger, S. (2014). Applying Stakeholder Theory in Sustainability Management: Links, Similarities, Dissimilarities, and a Conceptual Framework. Organization & Environment, 27(4), 328-346.

Joia, L. A. (2006). Geração de modelos teóricos a partir de estudos de casos múltiplos: da teoria à prática. In: M. M. F. VIEIRA & D. M. ZOUAIN (Orgs.). Pesquisa Qualitativa em

Administração (pp. 123-150). 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Koebel, C. T., McCoyb, A. P., Sanderfordc, A. R., Franckd, C. T., & Keefe, M. J. (2015). Diffusion of green building technologies in new housing construction. Energy and Buildings, 97, 175-185.

Le, T. T., Goodier, C. I., Pham, H. H., Soutsos, M. N., & Tong, K. T. (2012). Sustainable Construction — An International Comparison of Civil Engineering Students. Journal of Civil Engineering and Architecture, 6 (12), 1648-1653.

Ministério do Meio Ambiente – MMA (2014). Construção Sustentável. Recuperado em 03 de fev., 2014 de: .

Raut, S. P., Ralegaonkar, R. V., & Mandavgane, S. A. (2011). Development of sustainable construction material using industrial and agricultural solid waste: A review of waste-create bricks. Construction and Building Materials, 25, 4037-4042.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social: Métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas.

Roodman, D. M., & Lenssen, N. (1995). A Building Revolution: How Ecology and Health Concerns are Transforming Construction, Worldwatch Paper 124, Worldwatch Institute, Washington, D.C.

Sachs, I. (1994). Population, développement et emploi. Revue Internationale des Sciences Sociales, 141, 409-426, Toulouse: UNESCO/Erès.

Sachs, I. (2004). Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond.

Schein, E. H. (1992). Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass Inc.

Serva, M. (1997). Abordagem substantiva e ação comunicativa: uma complementaridade proveitosa para a teoria das organizações. Revista de Administração Pública (RAP), 31(2), 108-134.

Sieffert, Y., Huygen, J. M., & Daudon, D. (2014). Sustainable construction with repurposed materials in the context of a civil engineering-architecture collaboration. Journal of Cleaner Production, 67, 125-138.

Souza, J. C., & Bruno-Faria, M. F. (2013). Processo de inovação no contexto organizacional: uma análise de facilitadores e dificultadores. BBR-Brazilian Business Review, 10(3), 113-136.

United Nations Environment Programme – UNEP (2007). Buildings and Climate Change Status, Challenges and Opportunities. Recuperado em 10 de nov., 2015 de: .

US SIF Foundation: The Forum for Sustainable and Responsible Investment. (2012). [Report on Sustainable and Responsible Investing Trends in the United States]. Recuperado em 10 de nov., 2013 de: .

Vazquez, E., Rola, S., Martins, D., Alves, L., Freitas, M., & Pinguelli Rosa, L. (2013). Sustainability in Civil Construction: application of an environmental certification Process (Leed) during the construction phase of a hospital enterprise – Rio de Janeiro/Brazil. Interantional Journal of Sustainable Development Planning, 8(1), 1-19.

Veiga, J. E. (2010). Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond.

Zollo, M., Cennamo, C., & Neumann, K. (2013). Beyond What and Why: Understanding Organizational Evolution Towards Sustainable Enterprise Models. Organization & Environment, 26(3), 241-259.


Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional