Demandas da Gestão de Resíduos Ambientais, Econômicos e Tecnológicos: Uma Ferramenta de Otimização

Marisa Soares Borges, Humberto Gracher Riella, Paulo Roberto Janissek

Resumo


A gestão de resíduos industriais é uma tarefa muito exigente devido aos muitos objetivos diferentes que devem ser alcançados. A combinação de diferentes abordagens usadas por pessoas de áreas diferentes é uma questão desafiadora que pode levar ao abuso do valor potencial de resíduos e aplicabilidade. Uma ferramenta de base web interativa, para integrar os diferentes setores e superar as dificuldades de gestão de resíduos será apresentado. O sistema deve ser carregado com todos os dados relativos ao ciclo de vida do resíduo, e opor meio da integração de dados e modelagem de rotina dará a melhor alternativa como saída. Quanto maior e mais completos são os dados do sistema, pela carga de informação de segmentos diferentes, mais eficiente a gestão de resíduos se torna. A ferramenta é amigável e irá incentivar a participação de indústrias, laboratórios e instituições de pesquisa na obtenção de informações qualificadas sobre o inventário de resíduos industriais, recuperação de matérias-primas, características, tratamento e usos alternativos, para alcançar a sustentabilidade da gestão de resíduos.


Palavras-chave


Resíduos Industriais; Ferramenta; Inventários; Ciclo de Vida; Análise Econômica

Referências


Abbas, J.E. (2008). A problemática econômica e geográfica em que se inserem a gestão dos resíduos sólidos domiciliares e os modernos métodos para sua incineração, USP, São Paulo, Brasil.

Duchin, F (1992). Industrial input-output analysis: Implications for industrial ecology, Proc. Nati. Acad. Sci. USA. Vol. 89, pp. 851-855, February.

Fagerberg, J (1994). Technology and International Differences in Growth Rates. Journal of Economic Literature, volume XXXII, p. 1147-1175, setembro de 1994.

Franchetti, (2009). The solid waste analysis and minimization research project – A collaborative economic stimulus and environmental protection initiative in Northwest, Journal of solid waste technology and management, vol 35, n. 2.

Furlan, W, (2008). Modelo de decisão para a escolha de tecnologia para o tratamento de resíduos sólidos no âmbito de um município, USP, São Paulo, Brasil.

Hernandez and Uddameri, Hazardous Waste Assessment, Management, and Minimization. Water Environ Res 80 no10, 2008.

Hojer, M., et al, (2008). Scenarios in selected tools for environmental systems analysis. Journal of Cleaner Production 16 ,1958-1970.

IAP – Instituto Ambiental do Paraná (2005) - Conselho Estadual Do Meio Ambiente – Cema - Resolução N° 024/2002, (revisado).

IAP – Instituto Ambiental do Paraná: http://www.iap.pr.gov.br/novembro/2009.

IPARDES (2004), Dinâmica recente da economia e transformações na configuração espacial da Região Metropolitana de Curitiba - BRASIL.

Karadimas & Loumos – GIS (2001) _ Based modeling for the estimation of municipal solid waste management, Waste Management & Research.

Mcdougall, F.R., White, P.R., Franke, M., And Hindle, P (2001). Integrated Solid Waste Management: A Life Cycle Inventory: 2nd Edition. Blackwell Science, Ltd. United Kingdom.

Motta, R.S. (2000). O uso de instrumentos econômicos na gestão ambiental, IPEA.

Mitchell, J.W. (1992), Alternative starting materials for industrial processes. Proc. Nadl. Acad. Sci. USA. Vol. 89, pp. 821-826, February 1992

Mitchell, G, (2008). Problems and Fundamentals of sustainable development indicators. Disponível em http://www.lec.leeds.ac.uk/people/Gordon.html. Acesso em 17 de junho de 2008.

NCHS, (2008). Division of Vital Statistics, Centers for Disease Control and Prevention. Available at: http://www.cdc.gov/nchs/nvss.htm. Accessed November 15, 2008.

OECD (2009). Organization for Economic Co-operation and Development. Global downturn. Tackling the financial and economic crisis. Paris: OCDE, January 2009.

OCDE 2003/1. Main science and technology indicators. Paris: OCDE.

Pappu, A., et al, (2007). Solid waste generation in India and their recycling potential in building materials. Building and Environmental 41 ,2311-2320.

Phillips, P.S., et al, (2006). A critical appraisal of an UK county waste minimization programme: The requirement for regional facilitated development of industrial symbiosis/ecology. Resources, Conservation and Recycling. Volume 46, Issue 3, March 2006, Pages 242-264

Pongracz, E (2002). Re-defining the concepts of waste and waste management: Evolving the Theory of Waste Management, (tese) Oulun Yliopisto, Oulu 2002

Pongracz E, Phillips Ps And Keiski Rl (2004) Evolving the Theory of Waste Management Implications to waste minimization. Apud: Pongrácz E. (ed.): Proc. Waste Minimization and Resources Use Optimization Conference. June 10, 2004, University of Oulu, Finland. Oulu University Press: Oulu. P.61-67.;

Poonprasit, M., Phillips, P.S., Smith, A., Wirojanagud, W., Naseby,D. (2005). The Application of Waste Minimization to Business Management to Improve Environmental Performance in the Food and Drink Industry. Envirowise Waste Managemen.

Ribeiro, A.C.T., (2005) Globalização E Território Ajustes Periféricos – Internacionalização da região metropolitana de Curitiba: Desigualdades socioespaciais e direitos humanos, IPPUR, RJ.

Santos, C (2005). Prevenção à poluição industrial: Identificação de opoetunidades, análises dos benefícios e barreiras, USP, São Paulo, Brasil.

Stenis and Hoglands (2003). The polluter-pays principle and its environmental consequences for industrial waste management, Environment, Development and Sustainability, Volume 4, Number 4 / December.

Stenis, J (2004). Environmental optimization in fractionating industrial wastes using cost-benefit analysis. Resources, Conservation and Recycling 41 . 147-164;

Stenis, J., Construction waste management based on industrial management models: a Swedish case study, Waste Management & Research, Vol. 2

UNESCO (1999). Educação para um futuro sustentável: uma visão transdisciplinar para ações compartilhadas. Brasília: Ed. IBAMA, 118 p.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional