A Logística Reversa Sob a Perspectiva Produção-Mercado-Consumo: O Caso O Boticário

Ana Paula Machado Corrêa, Minelle Enéas da Silva

Resumo


O desenvolvimento sustentável emerge como paradigma alternativo para a continuidade da ação humana e ao atendimento das necessidades das gerações atuais e futuras por meio do crescimento econômico em harmonia com aspectos sociais e ambientais. Nessa perspectiva, entende-se que governos, consumidores e empresas devem incentivar, privilegiar e implementar práticas socioambientalmente corretas. Neste estudo, apresenta-se a logística reversa como uma ferramenta que pode ser utilizada pela empresa no intuito de reduzir os impactos produzidos e de alcançar o desenvolvimento sustentável. A pesquisa tem como objetivo analisar o processo de logística reversa de pós-consumo da empresa O Boticário. Para tanto, a pesquisa qualitativa conduzida sob a forma de um estudo de caso tem como base uma adaptação do framework apresentado por Tukker et al. (2008), o qual envolve três regimes inter-relacionados: produção, mercado e consumo. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com consumidores da empresa focal, com funcionários das empresas envolvidas no processo, e ainda com funcionários da concorrente. Nota-se que o programa de logística reversa analisado necessita ser melhor comunicado, para que amplie a participação do consumidor. Esse por sua vez, demonstra interesse pelo programa e o governo por meio da Política Nacional dos Resíduos Sólidos estipula a implementação de sistemas de logística, embora ainda não seja verificado o uso de incentivos.


Palavras-chave


Desenvolvimento Sustentável, Responsabilidade Empresarial, Logística Reversa.

Referências


Ballou, R. H. (2010). Logística empresarial: transporte, administração de materiais, distribuição física. São Paulo: Atlas.

Barbieri, J. C., & Dias, M. (2002). Logística Reversa como instrumento de programas de produção e consumo sustentáveis. Revista Tecnologística, São Paulo, Ano IV, n. 77.

Barbieri, J. C., & Cajazeira, J. E. R. (2009). Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável. São Paulo: Saraiva.

Bardin, L. (2009). Análise de Conteúdo. 4ª Ed. Lisboa: Edições 70.

Brasil. (2009). Decreto-lei nº 476/2009. Planalto Federal. Recuperado em dezembro, 2010, de .

Brasil. Política Nacional dos Resíduos Sólidos. Lei n° 12.305/2010. 2010. Planalto Federal. Recuperado em dezembro, 2010, de .

Buarque, S. C. (2008). Construindo o desenvolvimento local sustentável: metodologia de planejamento. São Paulo: Garamond.

Campêlo, K. B. (2002). Mudança estratégica: o caso da expansão de O Boticário. 104 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Escola Brasileira de Administração Pública. Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro.

Casagrande, E. F. (2003). Inovação Tecnológica e Sustentabilidade: integrando as partes para proteger o todo. Palestra do Seminário de Tecnologia – PPGTE – CEFET-PR: Curitiba.

Corrêa, A. P. M., Silva, M. E., & Melo, E. S. (2010). A logística reversa como componente facilitador da inter-relação entre empresas, governo, e sociedade em busca do desenvolvimento sustentável. Anais do XII Encontro Internacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente. São Paulo: FGV-EAESP.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed/Bookman.

Donato, V. (2008). Logística Verde: uma abordagem sócio-ambiental. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna.

Elkington, J. (2001). Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makroon Books.

Fleury, P. F. (2000). Logística integrada. In: Fleury, P. F., Wanke, P., & Figueiredo, K. F. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas.

Giacomini Filho, G. (2008). Meio Ambiente & Consumismo. São Paulo: Editora Senac São Paulo.

Hawken, P., Lovins, A., & Lovins, H. (1999). Natural Capitalism: creating the next industrial revolution. Little Brown – USA.

Kruglianskas, I., Aligleri, L., & Aligleri, L. A. (2009). Gestão socioambiental: responsabilidade e sustentabilidade do negócio. São Paulo: Atlas.

Leite, P. R. (2003). Logística Reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo: Prentice Hall. p. 211-218.

Leite, P. R. (2002). Logística reversa: nova área da logística empresarial. Revista Tecnologística. Ano VII, n. 78, p. 102-108.

Machado Filho, C. P. (2006). Responsabilidade social e governança: o debate e as implicações. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Novaes, A. G. (2001). Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Rio de Janeiro: Campus.

Rogers, D. S., & Tibben-Lembke. R. S. (1998). Going Backwards: Reverse Logistics Trends and Practices. The University of Nevada, Reno, Center for Logistics Management, Reverse Logistics Council, 1998. Recuperado em junho 2010, de .

O Boticário. (2010). BioConsciência: O Boticário. Curitiba: O Boticário.

O Boticário. (2006). Reciclagem pós-consumo. Curitiba: O Boticário.

Sachs, I. (2007). Rumo à ecossocioeconomia: Teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez.

Sarkis, J. (2007). Environmental Supply Chain Management. 21st Century Management: A Reference Handbook. SAGE Publications.

Schumacher, E. F. (2001). Lo pequeno es hermoso. Espana: Tursen S.A.

Silva, M. E. (2010). Consumo sustentável: em busca de um constructo. Anais do XII Encontro Internacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente. São Paulo: FGV-EAESP.

Silva, M. E. (2009). Sistemas de indicadores de sustentabilidade: a aplicação do Pressão-Estado-Impacto-Resposta sobre a problemática dos resíduos sólidos em Campina Grande – PB. 81 f. Relatório de Pesquisa (Bacharelado em Administração) – Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba.

Tibben-Lembke, R. S. (2002). Life after death – reverse logistics and the product life cycle. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management. 32 (3), p. 223-224.

Tukker, A., Emmert, S., Charter, M., Vezzoli, C., Sto, E., Andersen, M. M., Geerken, T., Tischner, U., & Lahlou, S. (2008). Fostering change of sustainable consumption and production: an evidence based view. Journal of cleaner production.

World Commission on Environment and Development. (1987). Report our commom future. Recuperado em julho 2010, de .

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional