Ações Estratégicas de Sustentabilidade Socioeconômica e Ambiental: Estudo do Elo Produtor do Setor de Carne

Márcia Cristiane Gruba, Ivan de Souza Dutra, Maristela Ribeiro de Melo Stock

Resumo


No curso das necessidades emergentes da sociedade e do meio ambiente para que os setores econômicos atuem com sustentabilidade, as cooperativas agroalimentares do setor de carne (CASC) enfrentam desafios de gestão e estratégia para obterem o melhor desempenho. Com vistas a esses desafios em diferentes elos da cadeia produtiva, foram realizados alguns estudos em uma CASC, entre eles este artigo, com o objetivo de verificar ações de sustentabilidade socioeconômica ou ambiental utilizadas pelos produtores de carne bovina que signifiquem estratégias com a COOPERALIANÇA, e consequentes resultados organizacionais, e se são preponderantes com o ambiente. A metodologia está caracterizada pelo estudo de caso, as entrevistas realizadas de maneira semiestruturadas e em profundidade com dirigentes de negócios do elo produtor da cadeia, além da análise de discurso. Dentre os resultados mais importantes, foram constatadas influências de outros elos da cadeia produtiva em ações estratégicas pró-sustentabilidade, que não são voluntárias e são influenciadas pelo macroambiente interorganizacional, sendo as sociais estimuladas por políticas públicas. Também se verificou a inexistência de programas de sustentabilidade e ações estratégicas de longo prazo, havendo cooperação e responsabilidade entre os elos, por interesses de “ganha-ganha”, que aumentaram o comprometimento e facilitaram suas funções interorganizacionais, ainda que não se tenha encontrado informações do interesse de conciliação entre resultados organizacionais e sustentabilidade socioeconômica e ambiental. Com esses resultados constatou-se a aderência à abordagem da ecologia organizacional.

Palavras-chave


Sustentabilidade, Estratégia em Ecologia Organizacional, Cooperativa Agroindustrial.

Referências


Ansoff, H. I. (1997). Estratégia empresarial. São Paulo, SP: Mc Graw-Hill.

Bialoskorski Neto, S. (1998, November). Governança e perspectivas do cooperativismo. In I Workshop Internacional de Tendências do Cooperativismo. PENSA/FUNDACE/FEARP-USP (pp. 17-35). Retrieved from: http://www.fundace.org.br/cooperativismo/artigos_ bialoskorski_i_workshop_coop_1998.pdf.

Brundtland, G. H. (1987). World commission on environment and development. Our common future. Oxford: Oxford University Press, 8-9.

Caldas, M. P., & Bertero, C. O. (2007). Teorica das organizações. São Paulo: Atlas.

Carfantan, J. Y. (2009). A sustentabilidade da pecuária de corte brasileira: uma alavanca para reconquistar o mercado europeu. In Workshop Pecuária Sustentável. São Paulo (16). Retrieved from: http://www.beefpoint.com.br/cadeia-produtiva/sustentabilidade/a-sustentabilidade-da-pecuaria-de-corte-brasileira-uma-alavanca-para-reconquistar-o-mercado-europeu-video-slides-e-artigo-56824/

Chandler, A. D. (1962) Strategy and structure. Cambrige, MA: MIT Press, (4).

Chaves Ávila, R. C., & Monzón Campos, J. L. (2008). Panorama de la investigación en economía social. Estudios de Economía Aplicada, 26(1), 29-55.

Cooperativa Agroindustrial Aliança de Carnes Nobres Vale do Jordão (COOPERALIANÇA) (2010). RELATÓRIO 2010.

Cooperativa Agroindustrial Aliança de Carnes Nobres Vale do Jordão (COOPERALIANÇA) (2011). RELATÓRIO 2011.

Elkington, J. (2001) Canibais com garfo e faca. São Paulo, SP: Makron.

Figueiredo, R. M. (2000) Dicionário prático de cooperativismo. Belo Horizonte, MG: Mandamentos.

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, 35(2), 57-63.

Godoy, A. S. (2010). Estudo de caso qualitativo. In: GODOI, C. K. (org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais (pp. 115-146). São Paulo, SP: Saraiva. doi: 10.1590_S0034-75901995000200008.

Gruba, M. C., Dutra, I. D. S., & Stock, M. R. D. M. (2011). As cooperativas agroindustriais do setor de carne em face dos resultados empresariais e da sustentabilidade socioambiental: reflexões em perspectiva estratégica. Revista Capital Científico-Eletrônica (RCCҽ) - ISSN 2177-4153, 9(2), 111-124.

Hannan, M. T., & Freeman, J. (1977) Ecologia de população das organizações. In: Caldas, M. P., & Bertero, C. O. & Caldas, M. P. (org.) (2007) Teoria das organizações (pp. 154-190). São Paulo, SP: Atlas.

Hitt, M. A., Ireland, R. D., & Hoskisson, R. E. (2001). Strategic management: competitiveness and globalization. Cincinnati, South-Western College.

Hitt, M. A., Ireland, R. D., & Hoskisson, R. E. (2008): Administração estratégica: competitividade e globalização. São Paulo, SP: 2. ed. Cengage Learning.

Lago, A. & Silva, T. N. da. (2010): Fatores condicionantes do desenvolvimento de relacionamentos intercooperativos no cooperativismo agropecuário. Porto Alegre, RS: Sescoop.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2005): Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre, RS: Bookman.

Mintzberg, H.; Quinn, J. B. (1991). The strategy process: concepts, contexts and cases. 2. ed. Englewood Cliffs: Prentice-Hall International, Inc.

Monzón Campos, J. L. (2003). El cooperativismo en la historia de la literatura económica. Ciriec-España, (44), 9-32.

Organização das Cooperativas Brasileiras OCB. Cooperativismo. Retrieved from: www.ocb.org.br.

Pinho, D. B. (1982). Economia e cooperativismo. São Paulo: Saraiva.

Ricciardi, L., & Lemos, R. J de. (2000): Cooperativa, a empresa do século XXI: como os países em desenvolvimento podem chegar a desenvolvidos. São Paulo, SP: LTr.

Sachs, I. (2000). Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond.

Savitz, A. W., & Weber, K. (2006): The triple bottom line: how today´s best run companies are achieving economic, social and environmental success – and how you can too. San Francisco: Jossey Bass.

Silva, A. B. (2010). A fenomenologia como método de pesquisa em estudos organizacionais. In: Godoi, C. K. Org(s). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais. p. 267-297. São Paulo, SP: Saraiva.

Valle, E. R. do (Ed.) (2011) Boas práticas agropecuárias: bovinos de corte: manual de orientações. 2. Ed. Revista ampliada. Campo Grande, MS: Embrapa Gado de Corte. ISBN 85-297-0203-4.

Zaccarelli, S. B. Ecologia de empresas (1971). Caderno de Administração da USP, 4(2), 1971.

Zaccarelli, S. B., & FISCHMANN, A. A. (1977) Ecologia de empresas. Revista de Administração, 12(1), 45-60.

Zaccarelli, S. B. (2000): Estratégia e sucesso nas empresas. São Paulo, SP: Saraiva.

Yin, R. K. (2005): Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre, RS: 3 ed. Bookman editorial.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional