Modelo para Avaliação Ambiental em Sistemas Produtivos Industriais: Um Estudo de Caso em uma Indústria de Transformação de Plástico

Francine Comunello, Larissa de Lima Trindade, Moacir Francisco Deimling

Resumo


A temática ambiental está sendo discutida de forma acentuada no ambiente organizacional, uma vez que os consumidores e a sociedade, de modo geral, estão cada vez mais preocupados com as questões ambientais. Nesse sentido, as empresas, especialmente as indústrias, buscam minimizar os impactos ambientais ocasionados pelos seus processos produtivos através de ações que conciliem o interesse econômico da organização com a preocupação ambiental. Diante disso, o presente artigo tem como objetivo analisar de que modo está sendo realizada a gestão ambiental do setor produtivo na Indústria Beta, de Chapecó (SC). Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa e descritiva, a fim de aplicar o Modelo para Avaliação Ambiental em Sistemas Produtivos Industriais (MAASPI) no setor produtivo da Indústria Beta. Os resultados apresentaram as principais intervenções ambientais ocasionadas pelo processo produtivo da organização, em que se destacam as intervenções referentes ao consumo de energia elétrica, localização da fábrica e armazenagem das aparas. Como principais propostas apresentadas para minimizar os impactos ambientais negativos, apresentam-se: a instalação de telhas translúcidas no ambiente produtivo, estudo sobre eficiência energética, realização de testes das águas e do solo, construção de terminais de armazenagem de resíduos e implantação da pré-separação da matéria-prima. A realização das adequações sugeridas possibilita à Indústria Beta antever exigências ambientais legais, almejar certificações e selos ambientais e fortalecer sua imagem de ambientalmente correta com os colaboradores e a sociedade em geral.

Palavras-chave


Gestão Ambiental; MAASPI; Intervenções Ambientais; Sustentabilidade.

Referências


Amaral, G. (Org.) et al. (2011). Guia ambiental da indústria de transformação e reciclagem de materiais plásticos. São Paulo: CETESB/SINDIPLAST. Recuperado em 21 março, 2016 de http://file.sindiplast.org.br/download/guia_ambiental_internet.pdf.

Barbieri. J. C. (2007). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. (2a ed.). São Paulo: Saraiva.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Berté, R. (2009). Gestão ambiental no Brasil. Curitiba: Ibpex.

Figueiredo, F. de S. (2014). Geração e transmissão de energia elétrica: um olhar pela sustentabilidade. Trabalho de Conclusão de Curso. Centro de Ciências e Tecnologias, Universidade Estadual da Paraíba. Recuperado em 27 setembro, 2016, de http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/5007/1/PDF%20-%20Fabiana%20de%20Sousa%20Figueiredo.pdf.

Finger, L.; Moretto Neto, L. & Vieira, B. (2010). Análise do Sistema de Gestão Ambiental do Laboratório de Camarões Marinhos da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Revista de Ciências da Administração, 12(27), 208-231. Recuperado em 21 março, 2016, de https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-8077.2010v12n27p208.

Grael, P. F. F. & Oliveira, O. J. (2010). Sistemas certificáveis de gestão ambiental e da qualidade: práticas para integração em empresas do setor moveleiro. Produção, 12(1), 30-41. Recuperado em 21 março, 2016, de http://www.scielo.br/pdf/prod/v20n1/aop200802011.pdf.

Grubits, S. & Noeriega, J. A. V. (2004). Método qualitativo: epistemologia, complementaridades e campos de aplicação. São Paulo: Vetor.

Jabbour, A. B. L. S. & Jabbour, C. J. C. (2013). Gestão ambiental nas organizações: fundamentos e tendências. São Paulo: Atlas.

Kraemer, T. H. (2002). Modelo econômico de controle e avaliação de impactos ambientais. 191 f. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção, Departamento de Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina. Recuperado em 27 setembro, 2016, de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/84350/189679.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Lerípio, A. A. (2001). Gaia: um método de gerenciamento de aspectos e impactos ambientais. 159 f. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção, do Departamento de Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina. Recuperado em 27 setembro, 2016, de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/81704.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2010). Fundamentos de metodologia científica. (7a ed.). São Paulo: Atlas.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2011). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. (7a ed.). São Paulo: Atlas.

Riegel, I. C.; Staudt, D. & Daroit, D. (2012). Identificação de aspectos ambientais relacionados à produção de embalagens de perfumaria: contribuição para projetos sustentáveis. Gestão & Produção, 19(3), 633-645. Recuperado em 21 março, 2016, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2012000300014.

Silva, P. R. S. & Amaral, F. G. (2011). Modelo para Avaliação Ambiental em Sistemas Produtivos Industriais (MAASPI): aplicação em uma fábrica de esquadrias metálicas. Gestão e Produção, 18(1), 41-54. Recuperado em 21 março, 2016 de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-530X2011000100004&script=sci_arttext.

Sistema de Informações Geográficas de Santa Catarina. (2016). Imagem aérea da indústria Beta. SIG SC. Recuperado em 15 junho, 2016, de http://sigsc.sds.sc.gov.br/map/?public=true#.

Society of Environmental Toxicology and Chemistry. (1998). Evolution and development of the conceptual framework and methodology of life cycle impact assessment. SETAC. Recuperado em 27 setembro, 2016, de http://infohouse.p2ric.org/ref/26/25196.pdf.

Tinoco, J. E. P. & Kraemer, M. E. P. (2011). Contabilidade e Gestão Ambiental. (3a ed.). São Paulo: Atlas.

United Nations Industrial Development Organization. (2006). Cleaner Production (CP). UNIDO. Recuperado em 21 março, 2016, de http://www.unido.org/index.php?id=o5152.

Vergara, S. C. (2010). Projetos e relatórios de pesquisa em Administração. (12a ed.). São Paulo: Atlas.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional