A Adoção de Práticas Sustentáveis e a Certificação ISO 14.001: um Estudo de Caso em um Escritório de Advocacia e Consultoria Jurídica

Letícia Eugênia Arenhart, Liziane Campigotto, Simone Sehnem, Rógis Juarez Bernardy

Resumo


Este artigo buscou analisar como inserir práticas sustentáveis e de qualidade que contribuam para que a empresa X Advocacia e Consultoria Jurídica consiga obter a certificação ambiental ISO 14.001. Para que o objetivo pudesse ser cumprido, realizou-se um estudo de abordagem qualitativa e quantitativa. O procedimento consistiu-se de um estudo de caso único com enfoque descritivo. Foi possível constatar que, a partir da observação da realidade da X Advocacia e Consultoria Jurídica e suas demandas em relação à obtenção da certificação ISO 14.001, pode-se propor como solução a implantação de algumas iniciativas e ações de sustentabilidade em seus três pilares – social, ambiental e econômico. Ainda, foram desenvolvidas sugestões acerca das dimensões da qualidade, no intuito de formular as bases para a política ambiental da X Advocacia e Consultoria Jurídica e possível implantação da certificação ISO 14.001.

Palavras-chave


Serviços Jurídicos, Práticas Sustentáveis, Gestão da Qualidade, Política Ambiental, ISO 14.001

Referências


Aguilera, C. J., Aragón, C. J. A, Hurtado, T. N. E.; De La Torre, R., J. M. (2010). Why do firms become green? The influence of internationalization on the environmental strategy. Academy of Management Proceedings, p-1-6.

Amato Neto, J. (2011). Sustentabilidade & produção: teoria e prática para uma gestão sustentável. São Paulo: Atlas.

Barbieri, J. C. (2011) Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 3. ed. São Paulo: Saraiva.

Berbel, N. A. N. (1995, outubro). Metodologia da problematização: uma alternativa metodológica apropriada para o ensino superior. Semina: Ciências Sociais e Humanas 16(2), p. 9-19, Londrina, Ed. Epecial out. 1995.

Bernhoeft, R. (1989). Empresa familiar. Sucessão profissionalizada ou sobrevivência comprometida. 2. ed. São Paulo: Nobel.

Berry, L. L. & Parasuraman, A. (1991). Marketing services: competing through quality. New York, USA: Free Press.

Beuren, I. M. (2003) Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

Câmara Internacional de Comércio (1991). Sistema de gestão ambiental. São Paulo, 1991.

Creswell, J.W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Porto Alegre: Artmed.

Darnall, N.; Henriques, I; Sadorsky, P. (2005). An international comparison of the factors affecting environmental strategy and performance. In: Rowan, M. (ed), Best papers Proceedings: Sixty-Third Meeting of the Academy of Management, p.B1-B6, Washington: Academy of Management.

Elkington, J. (1994). Triple bottom line revolution: reporting for the third millennium 69, p. 75. Australian CPA.

Fogliatti, M. C. (2008). Sistema de gestão ambiental para empresas. Rio de Janeiro: Interciência.

Godoi, C. K., Bandeira Mello, R., Silva, A. B. da. (2006). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Gianesi, I. G. N.; Corrêa, H. L. (1996). Administração estratégica de Serviços. São Paulo: Atlas.

Gronroos, C. (2003). Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier.

Günther, H. (2006). Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão?. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2013.

Kotler, P. & Keller, K. L. (2006). Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Las Casas, A. L. (2006). Qualidade total em serviços: conceitos, exercícios, casos práticos. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Mabry, S. (2011, junho). Tackling the sustainability dilemma: a holistic approach to preparing students for the professional organization. Business Communication Quarterly, 74, Issue 2.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. Técnicas de pesquisa. 4. ed. rev. aum. São Paulo: Atlas, 1999.

Minayo, M.C.S. (Org.) (2000). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 16. ed. Petrópolis: Vozes.

Nathanson, C. (1993, September). Are you a total quality person? Quality Progress 26(9), 117-119.

Ordem dos Advogados do Brasil Santa Catarina (OAB-SC). Acesso à base de dados das sociedades de advogados na subseção de Joaçaba. Disponível em . Acesso em 13 ago. 2013.

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) (2013). Relatórios de exame unificado de ordem. Brasil, 2013.

Tachizawa, T. (2005). Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios focadas na realidade brasileira. 3. ed. São Paulo: Atlas.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. 2. Ed. Porto Alegre: Bookman.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional