Ordenamento Territorial Geomineiro (OTGM) do Polo Mínero-Cerâmico de Santa Gertrudes - SP: Um Instrumento de Planejamento e Gestão para Garantir o Suprimento Sustentável de Recursos Minerais

Marsis Cabral Junior, Carlos Tadeu Carvalho Gamba

Resumo


Com o objetivo de conciliar o desenvolvimento da atividade de mineração com as demais vocações territoriais e com a preservação ambiental do Polo Mínero-Cerâmico de Santa Gertrudes, este trabalho aborda as bases conceituais, os recursos metodológicos e o modelo de zoneamento minerário elaborado para o ordenamento territorial geomineiro - OTGM dessa região. Como recurso metodológico, buscou-se efetuar uma análise transversal da disponibilidade dos recursos e da produção mineral no contexto ambiental, ocupacional e legal do polo de Santa Gertrudes, focalizada em poucos, mas significativos, parâmetros de ponderação, considerados estratégicos para o desenvolvimento da mineração em bases sustentáveis na região. Esses fatores condicionantes – FCs, como conceituados, identificam os elementos notáveis que foram considerados para o estabelecimento do zoneamento minerário, que constituiu o principal produto para o para o OTGM. Nesse contexto, a situação atual da atividade minerária e a potencialidade geológica para a ocorrência de recursos minerais foram identificadas e cotejadas com os condicionantes legais e naturais de uso e ocupação do solo, permitindo a compartimentação do território em áreas, mais ou menos apropriadas ao desenvolvimento da mineração (zonas preferenciais, controladas e bloqueadas).

Palavras-chave


Mineração; Ordenamento Territorial; Gestão; Zoneamento Minerário; Recursos Minerais; Cerâmica.

Referências


Almeida, A. S.; Sintoni, A., Monte, E. D., Tanno, L. C., Modesto, A. A., Kumayama, D. M., & Fiammetti. (2008). Bases técnicas, legais e modelo de zoneamento minerário para garantia do suprimento de matérias-primas minerais no APL de cerâmica vermelha do Oeste Paulista. São Paulo ((Rel. IPT n. 15 643-301).

Almeida, A. S.; Cabral Junior, M.; Obata, O. R.; Fiammetti, I. C. C.; Modesto, A. A. L.; Stefani, F. L. (2011) Bases técnicas, legais e modelo de zoneamento minerário para garantia do suprimento de matérias-primas minerais no APL de cerâmica vermelha do Oeste Paulista. São Paulo (Rel. IPT n. 121295-205).

Anfacer – Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimento, Louças Sanitárias e Congêneres. Informações do setor. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

Aspacer – Associação Paulista das Cerâmicas de Revestimentos. (2016). Informações gerais estatísticas do setor. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

Brasil. (2006). Documento base para a definição da Política Nacional de Ordenamento Territorial - PNOT (Versão preliminar). Brasília: Ministério da Integração, 260 p.

Cabral Junior, M.; Monte, E. D.; Obata, O. R.; Sintoni, A.; Sansão, A. M. M.; Tanno, L. C.; Almeida, A. S.; Stefani, F. L.; Braga, T. O.; Fiammetti, I. C. C. (2002). Subsídios técnicos para estabelecimento do zoneamento minerário do município de São José dos Campos. São Paulo (Rel. IPT n. 64 374).

Cabral Junior, M., Obata, O. R., & Sintoni, A. Diretrizes para Gestão Municipal. In: Tanno, L. C. & Sintoni, A. (Coord.). (2003). Mineração e Município: Bases para planejamento e gestão dos recursos minerais. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - IPT, p. 37-58.

Cabral Junior, M., Suslick, S. B., & Suzigan, W. (2010). Caracterização dos arranjos produtivos locais de base mineral no Estado de São Paulo: subsídio à mineração paulista. Geociências, vol.29, p. 81-89.

Cabral Junior, M.; Gamba, T. de C.; Almeida, A. S.; FIammetti, I. C. C.; Tanno, L. C.; Monte, E. D.; Meloni, R. E. (2012) . Formulação do Plano Diretor de Mineração dos municípios de Cordeirópolis, Ipeúna, Iracemápolis, Rio Claro e Santa Gertrudes. São Paulo (Rel. IPT n. 129345-205).

Cabral Junior, M., Gamba, T. de C., Tanno, L. C., Almeida, A. S., & Cruz, T. T. (2013). Potencial das reservas de argila para o suprimento do polo cerâmico de Santa Gertrudes - SP: onde o recurso mineral faz a diferença. Cerâmica Industrial, v. 18, p. 10-16.

Cabral Junior, M.; Tanno, L. C.; Albarelli, D. S. N. A. (2014). Caracterização geológica e tecnológica dos polos cerâmicos do Estado de São Paulo, Brasil. Comunicações Geológicas, v. 101, p. 757-760.

Cabral Junior, M., Gamba, T. de C., & Obata, O. R. (2014). Ordenamento Territorial Geomineiro do Litoral Norte do Estado de São Paulo. Brasil Mineral, v. 341, p. 46-51.

Calaes, G.D.; Carneiro Neto, B.P.; Margueron, C.; Amaral, J.A.G. (2007). Bases para o desenvolvimento sustentável e competitivo da indústria de agregados nas regiões metropolitanas do país - Parte 1. Revista Escola de Minas, v. 60, n. 4, p. 675-685, 2007.

Calaes, G.D.; Carneiro Neto, B.P.; Margueron, C.; Amaral, J.A.G. (2008). Bases para o desenvolvimento sustentável e competitivo da indústria de agregados nas regiões metropolitanas do país - Parte 2. Revista Escola de Minas, v. 61, n. 1, p. 47-56.

CEOT/CEMAT. A Regional / Spatial Charter for Europe. (1983). Estrasburgo: Conselho de França.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3ª Ed. Porto Alegre: Artmed, p. 127-237.

DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral. (2012). Sistema Cadastro Mineiro do DNPM e Sistema de Informação Geográfica da Mineração – SIGMine do DNPM. Disponível em: . Acesso em: 25 mai.

Machado, S. A. (2003). Dinâmica dos arranjos produtivos locais: um estudo de caso em Santa Gertrudes, a nova capital da cerâmica brasileira. São Paulo. 139 p. Tese (Doutorado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.

Magno, C. E. F. (2002). O sistema de gestão territorial e os recursos geológicos. In: Villas Bôas, R. C., & Page, R. (Ed.) La mineria en el contexto de la ordenación del territorio. Rio de Janeiro: CNPq/CYTED, p. 379-397.

Molina, J. M. (2002). Los recursos minerales y la mineria como componentes del medio fisico en la planificación territorial en Colombia. In: Villas Bôas, R. C., & Page, R. (Ed.) La mineria en el contexto de la ordenación del territorio. Rio de Janeiro: CNPq/CYTED, p. 171-195.

Nogueira, S. A. A. (2010). A questão do ordenamento territorial e sua relação com as reservas minerais em São Paulo. Geociências, vol.29, n. 2, p. 201-210.

Sintoni, A. (2007). Ordenamento territorial da mineração de agregados. Areia e Brita, n.40, p. 26-30.

Tanno, L. C., & Sintoni, A. (Coord). (2003). Mineração e Município: base para planejamento e gestão dos recursos minerais. São Paulo: IPT, 177 p.

Villas Bôas, R. C., & Page R. (2002). La mineria en el contexto de la Ordenación del Territorio. Rio de Janeiro: CNPq/CYTED, 416p.

Zanardo, A., Moreno, M. M. T., Del Roveri, C., Prado, A. C. A., Masson, M. R., Motta, J. F. M., & Ibrahim, L. (2006). Mineralogical and Textural Characteristics of the Raw Material Used in Dry Milling in the Ceramic Pole of Santa Gertrudes - Brazil. In: IX World Congress on Ceramic Tile Quality - Qualicer 2006, Castellón – Spain. v. 3. p. 181-184.


Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000