Ecoinovação em uma Agroindústria Sucroenergética: A Implantação do Projeto de Águas Residuais Zero

Bruna Sousa Ferreira, David Ferreira Lopes Santos, André Gustavo de Brito Thomaz, Marcelo Girotto Rebelato

Resumo


O aumento da competitividade global, a crescente demanda por eficiência operacional, as regulações socioambientais, a pressão dos stakeholders e a rápida transformação tecnológica desafiam cada vez mais as empresas a inovarem com foco ambiental. O objetivo do estudo foi a elaboração de um relato técnico para analisar o potencial de projetos de ecoinovação aplicados em uma usina sucroenergética com vistas ao gerenciamento adequado do processo de captação, reuso e descarte de água, visando diminuição de custos operacionais e melhoria dos aspectos ambientais. O método de pesquisa utilizado foi um estudo de caso único, qualitativo e de natureza aplicada. A pesquisa teve como estudo uma indústria sucroenergética, situada na região Noroeste do estado de Minas Gerais. Quanto à eficiência operacional e redução de custos, a empresa almeja, com a implantação, a redução dos gastos com recursos hídricos de 20%, o que representa uma economia de aproximadamente 7,4 milhões de reais ao ano, apesar dos investimentos no montante total de R$ 1,18 milhão em adequações estruturais para a implantação total do projeto. Pretende-se aperfeiçoar cada vez mais esse projeto, buscando expandir a ecoinovação em outros processos organizacionais da empresa. Com esse estudo buscou-se avançar as discussões de ecoinovação na agroindústria, visto que é um setor representativo para economia brasileira.

 


Palavras-chave


Cana-de-açúcar; Inovação sustentável; Resíduos industriais; Sustentabilidade

Referências


Aloise, P. G., Nodari, C. H., & Dorion, E. C. (2016). Ecoinovações: um ensaio teórico sobre conceituação, determinantes e achados na literatura. Interações,12(2), 278-289.

Araújo, K. S.; Malpass, G. R. P., Urias, P. M., & Cunha, C. R. (2014). Processos Oxidativos Avançados: fundamentos e Aplicações no Tratamento De Águas Residuais e Efluentes Industriais. Anais do V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, MG, Brasil, 5.

Barbieri, J. C., Vasconcelos, I. F., Andreassi, T., & Vasconcelos, F. C. (2010). Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas, 50(2). pp. 146-154.

Bardin, L. (1991). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições.

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. (2002). A Produção Mais Limpa no Setor Sucroalcooleiro: Informações Gerais. São Paulo: CETESB.

Centro Nacional de Tecnologias Limpas. (2003). Implementação de Programas de Produção Mais Limpa. Porto Alegre: Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI-RS UNIDO/INEP.

Companhia Nacional de Abastecimento (2017). Acompanhamento da safra brasileira 2016/17. Monitoramento agrícola – Cana-de-açúcar. n. 4. Brasília : Conab, 2017.

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Horbach, J., Rammer, C., & Rennings, K. (2012). Determinants of eco-innovations by type of environmental impact — The role of regulatory push/pull, technology push and market pull. Ecological Economics, 78, 112–122.

Ingaramo, A., Heluane, H., Colombo, M., & Cesca, M. (2009). Water and wastewater eco-efficiency indicators for the sugar cane industry. Journal of Cleaner Production, 17(4).

Jacomossi, R., Demajorovic, J., Bernardes, R., & Santiago, A. L. (2016). Fatores determinantes da ecoinovação: um estudo de caso a partir de uma indústria gráfica brasileira. Gestão & Regionalidade, 32(94), 101-117.

Kemp, R., & Pearson, P. (2007). Final report MEI project about measuring eco innovation. Brussels: DG Research, European Commission.

Lei n. 9433, de 8 de janeiro de 1997 (1997). Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Presidência da República.

Rebelato, M. G., Madaleno, L. L., & Rodrigues, A. M. (2014). Avaliação do desempenho ambiental dos processos industriais de usinas sucroenergéticas: um estudo na bacia hidrográfica do rio Mogi Guaçu. Revista de Administração da UNIMEP, 12(3), 122-151.

Rennings, K. (2000). Redefining innovation: eco-innovation research and the contribution from ecologicaleconomics. Ecological Economics, 32(2), 319-332.

Roscoe, S., Cousins, P. D., & Lamming, R. C. (2016). Developing eco-innovations: a three-stage typology of supply networks. Journal of Cleaner Production, 112(3), 1948–1959.

Sahu, O. P., & Chaudhari, P. K. (2015). The Characteristics, Effects, and Treatment of Wastewater in Sugarcane Industry. Water Quality, Exposure and Health, 7(3), 435–444.

Santos, D. F., Basso, L. F., Kimura, H., & Sobreiro, V. A. (2015). Eco-Innovation in the Brazilian Sugar-Ethanol Industry: a case study. Brazilian Journal of Science and Technology, 2(1), 1-15.

Tseng, M., & Bui, T. (2017). Identifying eco-innovation in industrial symbiosis under linguistic preferences: A novel hierarchical approach. Journal of Cleaner Production, 140(3), 1376-1389.

Wilson, J. P. (2015). he triple bottom line: Undertaking an economic, social, and environmental retail sustainability strategy. International Journal of Retail & Distribution Management, 43(4/5), 432 – 447.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. (3ª. ed.). Porto Alegre: Bookman.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional