Gestão de Resíduos da Indústria do Biodiesel: Um Estudo da Criação de Valor na Cadeia de Suprimentos

Stella Maris Lima Altoé, Simone Bernardes Voese

Resumo


Os resíduos, sejam eles sólidos ou líquidos, são inerentes a diversos processos industriais e requerem tratamentos especializados. O objetivo desta pesquisa é avaliar o processo de criação de valor na cadeia de suprimentos a partir da gestão sustentável dos resíduos oriundos da indústria de biodiesel. A abordagem metodológica foi o estudo de caso múltiplo, com a utilização de dados bibliográficos, documentais e análise de discurso. Os dados foram coletados por meio de entrevistas com os gestores das empresas analisadas. Os achados sugerem que a gestão de resíduos possibilita a criação de valor na cadeia de suprimentos do biodiesel. Constata-se também que, a partir desse gerenciamento, ocorre a preservação ambiental, a incidência de multas é reduzida ou até mesmo eliminada e ainda há cooperação econômica entre as empresas que possuem atividades distintas, mas compõem a cadeia de suprimentos do biodiesel.


Palavras-chave


Gestão de Resíduos, Criação de Valor, Cadeia de Suprimentos da Indústria de Biodiesel.

Referências


Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) (2012). Biodiesel – introdução. Retrieved from: < http://www.anp.gov.br/?pg=60468&m=&t1=&t2=&t3=&t4=&ar=&ps=&cachebust=1399416619720>. Acesso em: 23 de outubro de 2012.

Andersen, F., Iturmendi, F., Espinosa, S., & Diaz, M. S. (2012). Optimal design and planning of biodiesel supply chain with land competition. Computers & Chemical Engineering, 47, 170-182.

Andersen, M., & Skjoett-Larsen, T. (2009). Corporate social responsibility in global supply chains. Supply Chain Management: An International Journal, 14(2), 75-86.

Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) (2004). NBR 10.004: resíduos sólidos - classificação. Retrieved from: < http://www.aslaa.com.br/legislacoes/NBR%20n%2010004-2004.pdf>. Acesso em: 23 de outubro de 2012.

Azevedo, D. B. de, Gianluppi, L. D. F., & Malafaia, G. C. (2007). Os custos ambientais como fator de diferenciação para as empresas. Perspectiva Econômica, 3(1), 82-95.

Bleil, C., Souza, M. A. de, & Diehl, A. A. (2008). Mensuração econômica da cadeia interna de valor do segmento madeireiro de pinus: um estudo de caso. Gestão & Regionalidade, 24(70), 44-58.

Brasil (2005). Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005. Dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira e dá outras providências.

Brasil (2010). Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a política nacional de resíduos sólidos e dá outras providências.

Brasil (2010). Decreto nº 7.404 de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei nº 12.305/2010 e dá outras providências.

Brito, R. P. de, & Berardi, P. C. (2010). Vantagem competitiva na gestão sustentável da cadeia de suprimentos: um metaestudo. RAE-Revista de Administração de Empresas, (2), 155-169.

Carlini, G. (2002). A logística integrada como ferramenta para a competitividade em uma agroindústria. 113 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação, UFRS. Porto Alegre, UFRS.

Carvalho, G. M. B. de. (2007). Contabilidade ambiental: teoria e prática. Curitiba: Juruá.

Chopra, S.; & Meindl, P. (2003). Gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias, planejamento e operação. São Paulo: Person.

Errasti, A., Beach, R., Oduoza, C., & Apaolaza, U. (2009). Close coupling value chain functions to improve subcontractor manufacturing performance. International Journal of Project Management, 27(3), 261-269.

Ferreira, A. C. de S. (2006). Contabilidade ambiental: uma informação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Atlas.

Folha de São Paulo (2000). Veja os principais vazamentos da Petrobras nos últimos 25 anos, 23 de julho de 2000. Retrieved from: . Acesso em: 23 de outubro de 2012.

Furiam, S. M., & Günther, W. R. (2006). Avaliação da educação ambiental no gerenciamento dos resíduos sólidos no campus da universidade estadual de feira de Santana. Revista Sitientibus, (35), 7-27.

Gentil, R. M., Serra, J. C. V., & Castro, R. B. D. (2012). Resíduos sólidos orgânicos provenientes da extração de oleaginosas para biodiesel e seus potenciais de uso. Geoambiente On-line, (18).

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, S. S., & Heliodoro, P. A. (2005). A contabilidade ambiental como um novo paradigma. Revista Universo Contábil, 1(3), 81-93.

Instituto Ambiental do Paraná (IAP) (2012). Resíduos sólidos – Legislação. Retrieved from: < http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=276>. Acesso em: 23 de outubro de 2012.

Krause, L. C. (2008). Desenvolvimento do processo de produção de biodiesel de origem animal. 130 f. Tese (Doutorado em Química) – Programa de Pós-Graduação, UFRS. Rio Grande do Sul, UFRS.

Lefevre F.; & Lefevre, A. M. C. (2005). Depoimentos e discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Brasília: LiberLivro.

Leiras, A. (2006). A cadeia produtiva de biodiesel: uma avaliação econômica para o caso da Bahia. 156 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Industrial) – Programa de Pós-Graduação, PUC-Rio. Rio de Janeiro, PUC-Rio.

Li, D., & O'Brien, C. (1999). Integrated decision modelling of supply chain efficiency. International Journal of Production Economics, 59(1), 147-157.

Li, Q., Zheng, L., Cai, H., Garza, E., Yu, Z., & Zhou, S. (2011). From organic waste to biodiesel: black soldier fly, hermetia illucens, makes it feasible. Fuel, 90(4), 1545-1548.

Lima, C. C., Mendonça, E. S., Silva, I. R., Silva, L. H., & Roig, A. (2009). Caracterização química de resíduos da produção de biodiesel compostados com adição mineral. R. Bras. Eng. Agríc. Ambiental, 13(3), 334-340.

Linton, J. D., Klassen, R., & Jayaraman, V. (2007). Sustainable supply chains: an introduction. Journal of Operations Management, 25(6), 1075-1082.

Lu, C. (2009). The implications of environmental costs on air passenger demand for different airline business models. Journal of Air Transport Management, 15(4), 158-165.

Marconi, M. D. A.; & Lakatos, E. M. (1999). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisa, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

Marelli, A.; & Miolo-Vitali, P. (2008). Environmental cost accounting in Italy: a research note. In.: Australasian Conference on Social and Environmental Accounting Research. University of South Australia, 7th, Adelaide, South Australia December 7th to 9th. Anais.

Mbuligwe, S. E., & Kaseva, M. E. (2006). Assessment of industrial solid waste management and resource recovery practices in Tanzania. Resources, conservation and recycling, 47(3), 260-276.

Moori, R. G., & Zilber, M. A. (2003). Um estudo da cadeia de valores com a utilização da análise fatorial. Revista de Administração Contemporânea, 7(3), 127-147.

Mota, C. J. D. A., & Pestana, C. F. D. M. (2011). Co-produtos da produção de biodiesel. Revista Virtual de Química, 3(5), 416-425.

Oliveira, L. G. L., & Ipiranga, A. S. R. (2009). Sustentabilidade e inovação na cadeia produtiva do caju no Ceará. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 7(2), 252-272.

Oliveira, S. L. (1998). Tratado de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Paraná (1992). Lei nº 10.233, de 28 de dezembro de 1992. Institui a taxa ambiental e adota outras providências.

Paraná (1999). Lei nº 12.493, de 5 de fevereiro de 1999. Estabelece princípios e adota outras providências.

Paraná (2002). Decreto nº 6.674, de 4 de dezembro de 2002. Aprova o regulamento da Lei nº 12.493/1999 e adota outras providências.

Paraná (2007). Portaria IAP nº 224, de 5 de dezembro de 2007. Estabelece os critérios para a exigência e emissão de autorizações ambientais para as atividades de gerenciamento de resíduos sólidos.

Pereira, A. L., & Pereira, S. R. (2011). A cadeia de logística reversa de resíduos de serviços de saúde dos hospitais públicos de Minas Gerais: análise a partir dos conceitos da nova Política Nacional de Resíduos Sólidos Urbanos. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 24, 185-199.

Petrobras (2012). Bicombustível. Retrieved from: < http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/areas-de-atuacao/producao-de-biocombustiveis/>. Acesso em: 18 de novembro de 2012.

Porter, M. E. (1985). Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus.

Ribeiro, M. de S. (2006). Contabilidade ambiental. São Paulo: Saraiva.

Rodrigues, J. J. M., & Duarte, M. M. R. (2011). Relato da responsabilidade social, ambiente e competitividade: Enquadramento teórico. Revista Universo Contábil, 7(4), 138-155.

Royo, J. Compostagem orgânica: tecnologia ambiental que também aumenta a produtividade. Retrieved from: . Acesso em: 18 de novembro de 2012.

Salhofer, S., Wassermann, G., & Binner, E. (2007). Strategic environmental assessment as an approach to assess waste management systems. Experiences from an Austrian case study. Environmental Modelling & Software, 22(5), 610-618.

Santos, A. D. O., Silva, F. B. D., Souza, S. D., & Sousa, M. F. R. D. (2001). Contabilidade ambiental: um estudo sobre sua aplicabilidade em empresas brasileiras. Revista Contabilidade & Finanças, 12(27), 89-99.

Souza, L. L. C. de, & Rados, G. J. V. (2012). Mecanismos que sustentam a competitividade de uma cadeia de valor terceirizada: o caso da maior distribuidora de energia elétrica do Brasil. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 9(3).

Souza, M. A., & Mello, E. (2011). Análise da cadeia de valor: um estudo no âmbito da gestão estratégica de custos de empresas da construção civil da grande Porto Alegre. Revista Contemporânea de Contabilidade, 8(15), 11-39.

Souza, V. R. D., & Ribeiro, M. D. S. (2004). Aplicação da contabilidade ambiental na indústria madeireira. Revista Contabilidade & Finanças, 15(35), 54-67.

Wissmann, M. A.; Hein, A. F.; & Neuls, H. (2012). Geração de resíduos: uma análise de ecoeficiência nas linhas de produção em uma indústria de laticínio e a influência sobre os custos ambientais. In: Congresso Brasileiro de Custos, 19, Bento Gonçalves. Anais. Bento Gonçalves.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional